Este site utiliza cookies próprios ou de terceiros. Ao continuar a navegação você aceita o uso que fazemos destes. Caso queira, você pode modificar suas preferências em seu nevegador.

O que está procurando?

ACCIONA duplicará capacidade operacional de energia renovável na América Latina em três anos

29/11/2017
  • A ACCIONA - grupo global de origem espanhola e líder em promoção desenvolvimento e gestão de infraestruturas, água, serviços e energia renovável -, por meio da divisão ACCIONA Energia, duplicará sua capacidade operacional de energia renovável na América Latina até 2020, passando a gerenciar mais de 2.000 megawatts (MW), através de parques eólicos e usinas fotovoltaicas próprias localizadas em países como o México, a Costa Rica e o Chile.

Esta informação foi dada por José Manuel Entrecanales, CEO do Grupo ACCIONA, durante a inauguração da usina fotovoltaica solar “El Romero”, construída no deserto do Atacama, no Chile – a maior da América Latina – , com capacidade para 246 MW, e cuja inauguração simboliza o compromisso da ACCIONA em realizar investimentos estratégicos em uma das áreas do planeta com melhores perspectivas de crescimento para energias consideradas limpas.

Atualmente, a ACCIONA possui 897 MW de capacidade de energia eólica e fotovoltaica na América Latina. No último trimestre deste ano, outros 700 MW entram em construção e iniciarão operação em 2018 e 2019, além de outros projetos que deverão ser concluídos em 2020. "O Chile cumpre todas as condições para ser um líder no desenvolvimento de energia renovável no mundo, e nossa planta solar El Romero é um exemplo perfeito disso", disse Entrecanales, acrescentando que a ACCIONA espera continuar contribuindo para a maturidade da indústria em outros países da América Latina. “O que tem sido denominado como energias renováveis não-convencionais hoje são, de fato, as energias que se tornarão as convencionais, porque serão as impostas a todas as outras tecnologias de geração", afirmou.

Energia para distribuidores de eletricidade e para o Google

A usina de El Romero foi conectada à rede há um ano, após sua construção no tempo recorde de 13 meses. Localizada em Vallenar, a cerca de 645 quilômetros a norte de Santiago, cobre 280 hectares no deserto de Atacama. Sua capacidade nominal de 246 MW pode produzir energia limpa equivalente à demanda elétrica de 240 mil lares chilenos, evitando a emissão de cerca de 475 mil toneladas de CO2 para a atmosfera.

A planta é composta por 776 mil módulos fotovoltaicos, com área de captura solar de mais de 1,5 milhão de m2 (equivalente a 211 campos de futebol). Totalmente de propriedade da ACCIONA, está conectada à rede do Sistema Interconectado Central (SIC) do Chile. A fábrica já fornece energia renovável para o Google desde janeiro deste ano, cobrindo todo o consumo de energia elétrica da multinacional no Chile, em particular seu data center. O contrato será executado até 2030.

Novo projeto de energia eólica no Chile

El Romero é a segunda instalação da ACCIONA Energia no Chile, após o parque eólico de 45 MW Punta Palmeras, na região de Coquimbo, que entrou em serviço em outubro de 2014. Além de fornecer energia para a rede elétrica chilena, em julho deste ano, a empresa assinou um contrato com o grupo Falabella, um distribuidor de varejo líder no Chile, para fornecer energia renovável a quase uma centena de suas instalações.

No último trimestre deste ano, a ACCIONA está construindo um parque eólico de 183 MW (San Gabriel) em La Araucanía, para atender o fornecimento de 506 GWh atribuído à empresa, em agosto de 2016, pela Comissão Chinesa da Energia (CNE).

O setor de fontes renováveis no Chile oferece algumas das melhores perspectivas na América Latina, o que também se estende em nível global. De acordo com a Agência Internacional de Energia (IEA), o Chile pode alcançar - incluindo a energia hidrelétrica convencional - uma parcela de 50% das energias renováveis em seu mix de energia em apenas cinco anos (2022), em comparação a 39% em 2016. Isso será feito com 5.2 GW adicionais de energias renováveis não convencionais, que deverão entrar em operação nesse período.

A ACCIONA está presente no Chile desde 1993 em outras atividades, inicialmente através de sua divisão de Infraestrutura, sob a forma de grandes projetos de construção de rodovias, hospitais, hidrelétricas e infraestruturas para o setor de mineração. No negócio da Água, a ACCIONA projetou, construiu e opera uma grande planta de dessalinização para o setor de mineração em Copiapó, e também construiu várias estações de tratamento de águas residuais.

Subir