Este site utiliza cookies próprios ou de terceiros. Ao continuar a navegação você aceita o uso que fazemos destes. Caso queira, você pode modificar suas preferências em seu nevegador.

O que está procurando?

Descida da roda de corte marca avanço das obras da Linha 6-Laranja

17/08/2021

Peça faz parte da tuneladora responsável pela perfuração do túnel, que deve entrar em operação em dezembro deste ano

A ACCIONA realizou hoje (17)  a descida da roda de corte da primeira tuneladora (popularmente conhecida como “tatuzão”) que será utilizada para as escavações da Linha 6-Laranja de metrô de São Paulo. Este equipamento percorrerá o sentido sul, que compreende o trecho entre as estações Santa Marina e São Joaquim. Com isso, se inicia uma das principais fases da maior obra de infraestrutura em execução da América Latina.

“É um momento muito importante para a construção da Linha 6-Laranja. A roda de corte é um dos principais elementos do maquinário que fará a perfuração - que terá início em locação próxima à Ponte da Freguesia do Ó, no bairro da Água Branca. E quando entrar integralmente em operação, atenderá cerca de 633 mil passageiros por dia”, diz o CEO da Concessionária Linha Universidade, Nelson Bossolan.

O Governador João Dória reforçou a importância da obra para a geração de empregos no Brasil, “já no ano que vem, 9 mil pessoas estarão trabalhando nessa que é a maior obra de infraestrutura urbana do Brasil e da América do Sul”.

“A descida da roda de corte é um símbolo muito importante para que o shield, conhecido como tatuzão, comece o percurso sentido sul até 31 de dezembro e o outro shield, até abril de 2022, siga sentido norte”, disse o secretário dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy.

A descida da peça da tuneladora ocorreu na Ventilação e Saída de Emergência (VSE) Tietê e a escavação chegará até o poço de ventilação e saída de emergência da Av. Senador Felício dos Santos (VSE Felício dos Santos), logo após a estação São Joaquim, no bairro da Liberdade. “O equipamento deve entrar em operação em dezembro deste ano. A partir do poço central, percorrerá dez quilômetros, abrangendo dez estações, com escavações em solo”, afirma o diretor-adjunto de projeto da ACCIONA, Lucio Matteucci.

Outra etapa das obras prevê a instalação de equipamento similar para a  perfuração de 5,3 quilômetros no sentido norte – até a futura estação Brasilândia, com escavação em rocha.

A tuneladora que percorrerá o trecho sul pesa 2.000 toneladas e tem 109 metros de extensão, com diâmetro de escavação de 10,61 metros. Com ela, é possível perfurar aproximadamente 12 metros por dia.

A máquina possui refeitório, cabine de enfermagem, esteira rolante para a retirada do material escavado, além de cabine de comando e equipamentos auxiliares. Para a sua operação são necessárias 45 pessoas.

Estágio atual das obras - As obras da Linha 6-Laranja de metrô de São Paulo já contam com 19 frentes de trabalho simultâneas. Dos 9.000 empregos que serão gerados em todo o período de construção, já foram contratados mais de 3 mil profissionais diretos e indiretos.

A Linha Uni ligará a Brasilândia à estação São Joaquim, na região central, em um trajeto de 15 quilômetros com 15 estações. O tempo de transporte entre os dois pontos da cidade, que atualmente leva 90 minutos de ônibus, será reduzido a apenas 23 minutos.

O empreendimento é uma parceria público-privada (PPP) do Governo do Estado de São Paulo com a Concessionária Linha Universidade - da qual a ACCIONA é sócia - que realizará a operação por 19 anos.

 

 

 

Subir